O visível e o invisível é o primeiro encontro organizado pelo Centro de Fotografia de Montevidéu – CdF dedicado e pensado por educadores e pessoas interessadas na imagem e fotografia como veículos pedagógicos. O encontro conta com a presença de especialistas latino-americanos, com a proposta de se aprofundar na questão da educação pela imagem e apresentar experiências em diferentes países e contextos. A iniciativa inclui palestras, conferências e workshops sobre o uso da imagem, luz e palavras.

Na oportunidade será realizada uma visita guiada para a exposição “Sobre sonhos, abismos e outras fronteiras – Fotoativa ontem e hoje”, em cartaz no CdF até 13 de julho de 2019, com Irene Almeida, Miguel Chikaoka, Joyce Nabiça e Alexandre Sequeira.

CONVIDADXS: Alexandre Sequeira (BR), Irene Almeida (BR), Joyce Nabiça (BR), Miguel Chikaoka (BR), Luis Camnitzer (UY) e Sebastian Alonso/ Casa Mario (UY).

O programa completo está disponível no link:

Esta atividade será transmitida ao vivo através deste link .

Workshops

Oficina Fototaxia – Em busca do halo perdido | com Miguel Chikaoka: A proposta é compartilhar exercícios com foco ampliado no que constitui a gênese da imagem. É uma incursão no universo da luz como um poder inspirador para experimentar o que flui a partir dele como uma possibilidade de articular práticas educacionais.

Deixe-me falar sobre uma imagem que eu trago comigo | com Alexandre Sequeira: Com o objetivo promover intercâmbios simbólicos, entre os participantes, baseados em memórias pessoais e na elaboração de imagens que os evoquem. A ideia é construir um repertório de histórias que combinem imagem e texto. O resultado pode ser uma exposição, como um livro de memórias e imagens escritas. Como Jefferson Maleski aponta, “o narrador e o fotógrafo usam as mesmas ferramentas: um descreve uma imagem com palavras, o outro descreve palavras com uma imagem”. 

Cidade Velha, novas visões | com Irene Almeida e Joyce Nabiça: Ciudad Vieja de Montevidéu é um bairro cheio de histórias que são contadas e algumas ainda a serem descobertas. A atividade propõe mostrar este lugar através dos olhos de seus habitantes, aqueles que residem no bairro que vai além do shopping center durante a semana.

Artesanato e Artesalud | com Luis Camnitzer: A palestra enfocará a relação entre arte e pedagogia; arte como um ramo do conhecimento. Uma vez terminada a apresentação, uma dinâmica interativa será proposta entre os presentes.

SOBRE OS CONVIDADOS

ALEXANDRE SEQUEIRA: Belém-Pará, 1961. Artista plástico e fotógrafo, Mestre em Arte e Tecnologia pela UFMG, PhD pela mesma instituição e professor no Instituto de Estudos de Arte UFPA. Desenvolve trabalhos que estabelecem relações entre fotografia e alteridade social, tendo participado de diversas exposições e festivais no Brasil e no exterior. Tem obras na coleção do Museu da UFPa; Espaço Cultural Casa das 11 Ventanas / Pará; A coleção Pirelli / MASP-SP, Museu de Arte do Rio – MAR, Museu Cearense / Cearense de Fotografia, Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul / RS; Fundo Fotográfico da Associação Brasileira de Arte Contemporânea / SP e Coleção AMBA – Arte da África, Brasil e Caribe / Portugal e Itália. Ele participou de atividades de CdF como palestrante.

IRENE ALMEIDA: Vive e trabalha em Belém do Pará com fotojornalismo desde 2014 e como educadora, através da fotografia de arte, em instituições públicas e privadas com público diverso. Graduada em Pedagogia pela UEPA (1998), MBA em Cerimonial, Protocolo e Eventos – IESAM (2009). Iniciou seus estudos de fotografia em 1996, em oficinas da Fundação Curro Velho e da Associação Fotoativa. Participou de diversas exposições coletivas, entre elas: Fotoativa Para Cartografias Contemporâneas “, Sesc São Paulo (2009); “Indicial” – Sesc Boulevard – Belém / PA (2010); 3º Salão da Vida – artista convidado (2010); “A Arte da Lembrança – uma saudade na fotografia Brasileira”, do Itaú Cultural, de São Paulo (2015) e de Belém (2016); Exposição “Atravessamentos: Fotoativa ontem e hoje – Sesc Sorocaba (2018) e Sesc Ribeirão Preto (2019). Realizou a exposição individual “Transitório” no Espaço Cultural Conselheira Eva Andersen Pinheiro MPC (2012). Atua na produção e assessoria de curadores no projeto Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia (2010 a 2018). Integra a gestão da Associação Fotoativa entre 2007 e 2010. Ela participou de atividades de CdF como curadora e expositora.

JOYCE NABIÇA: Nasceu em Belém do Pará (BR). Ao mesmo tempo, conheceu a Fundação Curro Velho e a Associação Fotoativa, lugares de extrema importância em sua formação como fotógrafa e educadora. Lugares de carinho. Desenvolve projetos autorais na área de processos fotográficos artesanais e atua também como educadora em algumas instituições públicas, bem como em empresas privadas, no setor de relacionamento com a comunidade. Ela participou de atividades de CdF como expositora.

MIGUEL CHIKAOKA: Natural de São Paulo, vive e trabalha desde 1980 em Belém do Pará, Amazônia, onde ele concebeu a criação da Associação Fotoativa e a agência Kamara Kó Fotos. Seu processo de trabalho como fotógrafo e educador é guiado por abordagens que buscam ampliar a leitura e as experiências com a luz, além da fotografia. Em 2012, recebeu o Prêmio Brasil de Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural por sua contribuição à cultura brasileira. Em 2015, foi agraciado com o Prêmio Marcantonio Vilaça pela Fundação Nacional de Arte do Ministério da Cultura do Brasil. Ele participou de atividades de CdF como expositor, workshop, palestrante e técnico de laboratório.

LUIS CAMNITZER: Artista uruguaio que vive nos Estados Unidos desde 1964. Formado em escultura pela Escola Nacional de Belas Artes da Universidade da República. Ele lecionou na Escola Nacional de Belas Artes e é professor emérito da Universidade Estadual de Nova York. Ele trabalhou como curador de arte emergente no Centro de Desenho em Nova York, curador pedagógico da 6ª Bienal do Mercosul e assessor pedagógico Patricia Phelps de Cisneros Collection. Atualmente é co-diretor do grupo Arte como Educación, em Nova York. Ele foi o destinatário de duas Bolsas de Estudo Guggenheim (1961 e 1982), o Prêmio Matéria Frank Jewett da Associação de Arte Colegial (2011) e a Medalha Skowhegan (2012). Desde 1964 ele é um membro honorário da Academia de Florença. Suas obras foram exibidas em várias exposições internacionais, entre eles, representou o Uruguai na Bienal de Veneza (1988) e participou da Bienal do Museu Whitney (2000), da Documenta XI (2002) e de várias bienais em Havana. Seu trabalho está nas coleções de mais de quarenta museus internacionais. O Museu Daros, em Zurique, apresentou uma amostra antológica de seu trabalho em 2010 e, em seguida, circulou em sete países. Entre seus livros estão: Nova Arte de Cuba, Universidade do Texas Press; Arte e Pedagogia: A Ética do Poder, Casa de América, Madrid; Arte conceitual na América Latina: Didática da Libertação, Editora da Universidade do Texas (publicada em espanhol por HUM, Montevidéu e Cendeac, Múrcia); Em Arte, Artistas, América Latina e Outras Utopias, University of Texas Press; entre outros. Documenta XI (2002) e em várias bienais de Havana. Seu trabalho está nas coleções de mais de quarenta museus internacionais. O Museu Daros, em Zurique, apresentou uma amostra antológica de seu trabalho em 2010 e, em seguida, circulou em sete países. Entre seus livros estão: Nova Arte de Cuba, Universidade do Texas Press; Arte e Pedagogia: A Ética do Poder, Casa de América, Madrid; Arte conceitual na América Latina: Didática da Libertação, Editora da Universidade do Texas (publicada em espanhol por HUM, Montevidéu e Cendeac, Múrcia); Em Arte, Artistas, América Latina e Outras Utopias, University of Texas Press; entre outros. Documenta XI (2002) e em várias bienais de Havana. Seu trabalho está nas coleções de mais de quarenta museus internacionais. O Museu Daros, em Zurique, apresentou uma amostra antológica de seu trabalho em 2010 e, em seguida, circulou em sete países. Entre seus livros estão: Nova Arte de Cuba, Universidade do Texas Press; Arte e Pedagogia: A Ética do Poder, Casa de América, Madrid; Arte conceitual na América Latina: Didática da Libertação, Editora da Universidade do Texas (publicada em espanhol por HUM, Montevidéu e Cendeac, Múrcia); Em Arte, Artistas, América Latina e Outras Utopias, University of Texas Press; entre outros. Universidade do Texas Press; Arte e Pedagogia: A Ética do Poder, Casa de América, Madrid; Arte conceitual na América Latina: Didática da Libertação, Editora da Universidade do Texas (publicada em espanhol por HUM, Montevidéu e Cendeac, Múrcia); Em Arte, Artistas, América Latina e Outras Utopias, University of Texas Press; entre outros. Universidade do Texas Press; Arte e Pedagogia: A Ética do Poder, Casa de América, Madrid; Arte conceitual na América Latina: Didática da Libertação, Editora da Universidade do Texas (publicada em espanhol por HUM, Montevidéu e Cendeac, Múrcia); Em Arte, Artistas, América Latina e Outras Utopias, University of Texas Press; entre outros. Participou de atividades do Centro de Fotografia de Montevidéu como curador, conselheiro, palestrante e oficina.

 

Serviço:

O visível e o invisível: imagem + educação | Encontro para educadores

4 a 10 de maio de 2019
Organização: Centro de Fotografia de Montevidéu – CdF
Mais informações: http://cdf.montevideo.gub.uy/actividad/lo-visible-y-lo-invisible-imagen-educacion


Postado por

Fechado para comentários.

http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-2.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-d22142.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-d22136.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-d22138.html http://www.fotoativa.org.br/blog/nike-tn-.html